Donuts y Mr Wonderful, llega la obesidad buenrollera

 17 de março, em 2016 22:13

Olá Branca,
Sem ofensa, eu acho que não é consciente do mundo em que vivemos, do ambiente que nos rodeia. Se expor o porquê. O Demonizar um produto de pastelaria te parece radical? Me parece radical-mente ingênuo pretender que a população siga uma alimentação saudável, se somos desleixados com a nossa mensagem para esta série de produtos açucarados. E sim, é parcial das coisas, mas a posição que você defende, porventura, não é?. Você não está levando em conta que atualmente grande parte da população tem poucos recursos económicos mais baixos, e que o ter ao alcance deste tipo de produtos, a um preço de riso, não ajuda. Você não está levando em conta que cada vez que saímos à rua, que vemos na tv, ouvimos rádio, ou mesmo que lemos uma revista, aparecem anúncios, anúncios, que nos convidam a comer, e não apenas um par de peças de fruta. E, acima de todas as coisas, há algo que você não está levando em conta, e são as taxas de sobrepeso e obesidade (não só adultos, mas crianças) que temos atualmente. Que a obesidade é um problema real e não queremos nos dar conta, leñes!
O das causas de caridade que você faça, em seguida, me lembra as campanhas da Coca-Cola ou Mc Donalds com diferentes ONG’S, mostrando o quão comprometidas que estão com a população. Porque a Coca-Cola, não vende refrigerantes, você VENDE FELICIDADE! E A BOA E PARA SEMPRE!… Ou assim dizem seus maravilhosos anúncios desenvolvidos por grandes mentes de anunciantes, cujo único fim é o de zelar pela saúde das pessoas. Óbvio. Só se esqueça de dizer que vendem açúcar engarrafada e que cada botecito que te bebês se aproxima um pouco mais com a diabetes e a parecer ao cuñá (Anexo foto: https://i.ytimg.com/vi/J1dDR1CpiZ4/hqdefault.jpg).

Sigo. O Que o comentário de João não é muito justo? O que é justo? É justo que nos vendam sensações/emoções/sentimentos, enquanto nos estão cerveja pela porta de trás, quilos e de doenças crônicas? É justo que aquela parte da população que não tem recursos suficientes económicos, tenha de prescindir de frutas, verduras, legumes, frutos secos, entre outros, porque eles têm um preço que toca o absurdo, enquanto que produtos do tipo Donuts, Biscoitos, Bollycaos, são vendidos no plano “barganha”? É justo que a metade da população mundial tenha problemas de fome e a outra metade tenha problemas de excesso, devido a esses produtos (tão inofensivos que você diz)? É justo que algumas associações de profissionais de saúde se prestem a colaborar com produtos, em lugar de promover o consumo de alimentos (mas tudo sem nenhum tipo de interesse económico, primum non nocere e essas coisas)? Eu acho que muitas injustiças no mundo (não só na alimentação, mas em geral), para que venhas a dizer que não é justa uma denúncia que pretende punir e/ou chamar a atenção para aquelas empresas que são mais visíveis e que podem ajudar um pouco, em vez de complicar (ainda mais) o assunto. E não, muitas vezes não se pode escolher, muitas vezes, se você é uma mãe que tem x dinheiro e você tem que alimentar 4 crianças, e vê um bolo que é respaldado pela Sociedade X x profissional de saúde (cuja ética se aproximam da zona profunda do water), e ainda por cima, barato (mais do que uns frutos secos, com CERTEZA), e que lhe vai agradar a seus filhos (porque lhes vai gostar, porque eles são feitos para gostar, não para alimentar/nutrição (deixando de lado as definições específicas de tais termos) e que, além disso, não se vírgula um, mas vários.), antes que se queira pares para pensar, você já terá escolhido. Isso não é liberdade, não se engane. A liberdade é algo abstrato, que todos nós acreditamos ter mas ninguém se livra de perder suas experiências/opiniões/contexto/situações. Tudo o que nos rodeia condiciona a nossa liberdade, e um mundo mercantilizado somado a um ambiente obesógenico, como o que vivemos, não dá lugar a essa liberdade., e muito menos quando falamos de CRIANÇAS ou PAIS que, em busca de dar o melhor para seus filhos, se agarram ao que os meios de comunicação (osease, a INDÚSTRIA de ALIMENTOS) lhes foi ensinado. “Tem que comer de tudo”, “Moderação” (Os quais você mesma coloca sobre o pano, Matrícula dicas pro-indústria, Panrico estaria orgulhosa de sua mensagem.). Estas dicas não seguem a realidade. E não, não tem que comer de tudo. MERDA EMPACOTADA NÃO HÁ QUE COMER, PRODUTOS ULTRAPROCESADOS NÃO HÁ QUE COMER, NEM COM NEM SEM MODERAÇÃO. NÃO E NÃO. E não, os donuts não são armas nucleares, mas dizer que “comer de tudo em excesso é prejudicial”, também não é o Santo Graal.
Uma saudação.

Deixe um comentário